sábado, 13 de dezembro de 2008

O que pode mudar nas novas regras da FIDE?


O AI Antônio Bento, depois de brilhar no Mundial, agora é membro do conselho de Árbitros da FIDE, sendo o único representante da America do Sul.

Veja na FIDE: Clique aqui

O que pode mudar na lei do xadrez que vigorará a partir de 1º de julho de 2009?

Pelo AI Antonio Bento ( Comentários AI Friedrich Salamon em vermelho e AN Eduardo Arruda em verde)


1) Partidas no ritmo de 60 minutos para cada jogador passam a ser xadrez pensado.

Já usamos este critério a muito tempo na FEXERJ .

A FIDE já usava para torneios com jogadores de rating baixo.

2) Jogador que não chegar no horário marcado para o início da partida perderá a partida. A tolerância será zero para atraso.

Não e possível cumprir, se os competidores não estão hospedados no lugar da competição. O assunto tem que ser regulamentado nas regras da competição. É possível reduzir o tempo de tolerância, já que com partidas de 60 minutos não há espaço para uma hora de espera.

A maioria dos jogadores do RJ já estão acostumados em chegar atrasados principalmente na primeira rodada onde acreditam que começara com atraso, se a regra for estabelecida teremos muitos wo na FEXERJ.

3) O árbitro deverá corrigir os tempos de relógios que estejam incorretos.

A regra não me parece nova , já que tem dispositivo nas regras de competição. Acredito que o reforço se deve a fiscalização da programação dos relógios digitais .

Muitos árbitros já usavam esse critério.

4) O regulamento de uma competição poderá especificar que os jogadores não poderão empatar de comum acordo num determinado número de lances (ou mesmo não poderão empatar em hipótese alguma), sem o consentimento do árbitro.

Estou convencido que o artigo é inócuo , alem de desgastar o arbitro .

Concordo com o Salamon, se dois jogadores querem empatar nada poderá ser feito para impedir, simplesmente combinam uma partida e dão por exemplo cheque perpetuo ou fica Rei contra Rei.

5) A punição para reivindicações (incorretas) de empate para repetição de posições (9.2) e 50 lances (9.3) será apenas de acréscimo de 3 minutos para o adversário do jogador reivindicante.

Não tenho objeção, porque é uma alteração das regras de competição que descomplica .

A regra em vigor estava meio complicada e uma vez perguntei aos principais árbitros em atividade no Brasil sobre como proceder sobre quando um pedido de repetição de lance estava errado e nenhum respondeu 100% corretamente, os 3 minutos parece mais lógico que o procedimento abaixo descrito que esta em vigor:

9.5 b Se o pedido for verificado incorreto, o árbitro deve adicionar três minutos ao tempo restante do adversário. Alem disso, se o reclamante tiver mais de dois minutos no relógio o árbitro deve deduzir a metade do tempo restante até o controle de tempo do reclamante, até um máximo de três minutos. Se o reclamante tem mais de um minuto, porem menos de dois minutos, seu tempo remanescente passa a ser de um minuto. Se o reclamante tem menos de um minuto, o árbitro não poderá fazer qualquer ajuste no relógio do reclamante. Depois o jogo continua e o lance anunciado tem que ser feito .

6) Nas reivindicações de empate com base no art. 10.2, o jogador deverá chamar o árbitro e poderá (ou não) parar os relógios. Na lei atualmente em vigor, o jogador era obrigado a parar o relógio antes de chamar o árbitro.

Não me parece conveniente, porque não marca de modo claro a intenção de chamar o arbitro, que não deveria ser convocado com a partida em andamento.

Acho bom o novo dispositivo, pois muitos jogadores não sabiam a forma correta de agir e chamavam o arbitro e muitos nada respondiam já que o atleta não fazia o procedimento correto, no ultimo interclubes fui chamado umas 3 vezes de forma errada e tenho por costume explicar a maneira correta do jogador agir, a nova regra vai ajudar aos atletas do RJ.
Procedimento em vigor:
10.2. Se o jogador, que tem a vez de jogar, tem menos de 2 minutos restante no seu relógio pode reclamar um empate antes da queda da sua seta. Ele tem que parar os relógios e chamar o árbitro.


7) Durante a partida, celulares deverão estar desligados. O jogador entretanto perderá a partida, se o celular soar.

Este decisão é clara, mas deve ser discutido o que significa "durante a partida "

Acho a regra muito dura, fiquei muito triste ao tirar o Ponto do LIMP no inicio da partida com o TEIXEIRA no INTERNACIONAL FEXERJ de 2007, o próprio TEIXEIRA não queria o ponto dessa forma, tive que cumprir a regra que foi explicada antes do inicio da rodada e o LIMP na partida do DIEGO, que ganhou jogou por uma hora com o celular ligado por sorte não tocou.
Agora o cara atender o celular já considero falta de respeito, na forma usada na FEXERJ, atualmente acho meio confuso, na minha opinião o correto seria atendeu o celular perdeu a partida, mais no caso de pessoas que realmente necessitem do celular nada impede de solicitar ao arbitro autorização especial par atender ao telefone ( como médicos).

8) O jogador poderá apelar contra qualquer decisão do árbitro, a menos que regulamento da competição especifique de outra forma.

Este dispositivo já existe nas regras da FEXERJ .

A FIDE tem casos específicos nas regras em vigor que não cabe recurso contra a arbitragem ( 10.2 por exemplo) me parece mais democrático, caber recurso contra toda decisão da arbitragem.

9) Qualquer expectador pode informar ao árbitro (e somente a ele) se observar alguma irregularidade durante a partida.

É necessário regulamentar o que o arbitro pode fazer com este observação .

Acho que o arbitro verificando a veracidade da informação devera atuar como determina as regras da FIDE para o caso.

10) Foi estendida a todos a proibição de portar qualquer dispositivo eletrônico na sala de jogo e áreas contíguas, a menos que devidamente autorizados pelo árbitro.
OK


11) O ritmo das partidas de rápido passa a ser de 15 minutos a menos de 60 minutos.

OK
12) Nas partidas de xadrez rápido (será aplicável também às partidas de blitz) se houver adequada supervisão da arbitragem (em pelo menos 3 partidas) as regras de competição se aplicam.(A arbitragem poderá intervir em todos os casos das partidas de xadrez pensado).

Gostei da novidade , mas precisa de mais de um arbitro para cumprir a exigência.

Vai dar a maior confusão lance impossível não ganha em relâmpago etc, só será possível se tiver um arbitro para cada partida.

13) Na partida de rápido (e de blitz) em que não haja adequada supervisão de arbitragem, o árbitro poderá intervir se as duas setas estiverem caídas; nas partidas de blitz lances ilegais não poderão ser corrigidos a menos que os jogadores concordem.

É uma inovação importante, porque pode evitar o constrangimento de manter uma posição ilegal até o fim da partida .
É necessária, todavia, de regulamentar um requerimento de vitoria devido a irregularidade quando os jogadores não concordam .


Vai dar confusão também.

14) Será facultativa a anotação, na planilha, de: xeque, xeque-mate ou captura de peça.

Nada contra

Muitos jogadores já não anotam isso.

15) Criada alínea no Apêndice da Lei, regulando o xadrez randômico (Chess960).

Se me informar o que é xadrez randômico, agradeço . Não tenho vontade de fazer este pesquisa .

Inventado pelo genial Fischer, também conhecido como Chess960 (com referência as suas 960 posições iniciais de peças), é um jogo variante baseado no xadrez, criado por Robert James Fischer em 1996, onde a ordem das peças principais é escolhida aleatoriamente e ordenadas de acordo com certas regras pré-determinadas e apos o sorteio das peças valem as regras de xadrez.

7 comentários:

Celso Renato disse...

É Mestre a coisa tá ficando dificil, perder uma partida por atraso? isso não existe, acho que estão inventando moda, dificultando a pratica do xadrez isso sim, rs!

Alexandre Alves disse...

Não poder empatar de comum acordo, isso é ingenuidade ; Nada se pode fazer quando dois jogadores querem empatar.

Cezar disse...

Estão querendo com regras mirabolantes mudar o xadrez, se dois jogadores desejarem empatar vão empatar não importa se esta proibido, o Alexandre tem razão, e é lógico que no Brasil a regra de tolerância zero vai criar problemas, a proposta para o ping chega a ser ridícula como pode um mesmo torneio ter regras diferentes?
Ou vão ter um arbitro pra cada mesa.
A FIDE esquece que não existe somente países de primeiro mundo filiada a ela.

Anônimo disse...

As pessoas chegarem atrasadas é um desrespeito e merecem perder o ponto.
Agora deveria ter também punição para organizadores e árbitros que atrasem também o inicio das rodadas.


Adriano Martins

Anônimo disse...

Parabéns pelo blog Arruda, esta muito bom.
Chega a ser divertido, jogador perder o ponto por chegar atrasado, a maioria dos torneios no Brasil pelo menos a primeiras rodada começa fora da hora.
Agora o arbitro intervir em partidas de relâmpago só pode ser algo de muito mau gosto mesmo .
Mudanças doidas que espero que tenham bom censo de não colocá-las em prática
Eduardo Alan

viviasantana23 disse...

Tão querendo mudar tanto as regras que daqui a pouco vão mudar o nome do jogo..

Vivia

Cezar Mançu disse...

As mudanças são significativas mais algumas parecem que não vão ser efetivadas, uma coisa nova é que a FIDE vai publicar o rating a cada dois messes e o rating mínimo passa a ser 1200,a proposta do super GM foi recusada.
Em relação à proposta de empate, cada regulamento de competição pode determinar se é permitido propor empate ou que exista um número mínimo de lances para o empate de comum acordo.
em razão a chegar atrasado o texto ficou assim:
Chegar atrasado para o início da partida pode causar a derrota, dependendo do entendimento do árbitro ou do combinado pela organização do torneio antes de seu início.

Ou seja vai depender do regulamento, dando mais flexibilidade a torneios abertos e torneios com a realidade brasileira.